Domínio para loja virtual: tudo o que você precisa saber

Ilustração de um domínio para loja virtual

Encontrar um domínio para loja virtual não é uma tarefa tão simples quanto parece. Além da difícil missão de escolher um nome criativo você pode estar se perguntando: será que preciso ter um domínio pago? Como funciona o registro? Devo escolher um “.com.br” ou existem outras possibilidades?

São muitas dúvidas, não é mesmo? Mas antes de encontrar as respostas, vale fazer a seguinte reflexão: imagine que você vai comprar um tênis novo para caminhar. Se fosse procurar por este produto no Google como faria essa busca?Será que buscaria por “loja de tênis” ou digitaria “tênis para caminhada”?

Quando você começa a entender como as pessoas buscam por produtos ou serviços na internet também descobre oportunidades de encontrar um bom nome para sua loja virtual. Mas será que existem outras estratégias para definir o domínio certo para seu e-commerce?

Neste artigo vou dar dicas de como escolher um domínio para loja virtual e explicar como funciona o seu processo de registro. Continue lendo!

Qual o melhor domínio para loja virtual?

O domínio é o endereço da sua loja na internet e há pelo menos dois aspectos a considerar na hora de escolher o seu. O primeiro deles é o nome do domínio, parte principal do endereço e que deve representar a sua marca, seu produto ou serviço online. Em facebook.com, por exemplo, esse nome seria “facebook”. O segundo aspecto seria a extensão, parte final que identifica a categoria a qual o domínio pertence, e que neste caso seria o “.com”.

Esses pontos, e outros que detalharei ao longo do artigo, são fundamentais para descobrir qual o melhor domínio para sua loja virtual. E como essa resposta também depende das necessidades e características de cada negócio, meu objetivo é fornecer as informações para que você possa tomar a decisão mais acertada.

Primeiramente, vamos tratar sobre a escolha do nome do domínio, parte mais importante do endereço da sua loja virtual. Veja a seguir as dicas para encontrar o nome ideal:

Dica 1 – Dê preferência para o nome da sua marca, seu produto ou serviço

Assim como em outros negócios online, uma dica valiosa para encontrar o melhor domínio para loja virtual é utilizar o nome da sua marca, produto ou serviço.

Sem dúvida, se a sua marca já é conhecida no seu bairro ou cidade, a internet reforçará ainda mais sua reputação, expandindo seu alcance. Isso acontece porque o consumidor de hoje não vê mais diferença entre canais físicos e online. O que ele quer é poder encontrar sua marca a qualquer hora e em qualquer lugar.

Assim, da mesma forma como um consumidor está acostumado a visitar uma loja física do Magazine Luiza, por exemplo, naturalmente ele pode querer procurar por esta loja também na internet, seja para comprar ou para verificar o preço de um produto, frete e prazos de entrega.

Por outro lado, se a sua loja vende um produto ou serviço específico, chamado de nicho, pode ser interessante escolher um nome de domínio relacionado ao seu segmento. Por exemplo, o e-commerce Enjoei usa um domínio que é facilmente relacionado a produtos usados. Já a “lojadomecanico.com.br” comercializa produtos de mecânica automotiva, e assim por diante.

Loja VirtUOL - Crie a sua e comece a vender hoje mesmo! UOL Meu Negócio

Dica 2 – Escolha um nome simples e fácil de ser lembrado

Imagine que o domínio é como uma ponteque leva seus clientes direto para a sua loja virtual. Por isso, quanto mais fácil for, para o consumidor, associar o produto que ele procura com o seu e-commerce, mais sua ponte se torna acessível para que eles possam atravessá-la.

Se você tem dúvidas de como escolher um domínio para loja virtual, um bom ponto de partida é entender como as pessoas buscam por produtos na internet. Hoje existem várias ferramentas, como o Google Trends, por exemplo, capazes de mostrar quais são os termos mais buscados online.

O Google Trends pode ser uma ótima ferramenta para ter ideias e escolher um domínio para loja virtual
Página inicial da ferramenta Google Trends

Porém, é importante lembrar que não se trata apenas de usar uma determinada palavra-chave em seu domínio para ser bem ranqueado no Google. O algoritmo considera muitas outras variáveis em seus resultados de busca, como por exemplo, a qualidade do conteúdo do site, a velocidade de carregamento e a experiência de navegação.

Por isso é essencial considerar outros fatores na escolha de um domínio para loja virtual. Confira o checklist abaixo com algumas regras e boas práticas:

  • Opte por nomes curtos, que são mais fáceis de lembrar (como regra, um nome de domínio precisa ter entre 2 e 26 caracteres, se terminado em .br, já extensões internacionais em geral permitem entre 3 e 64 caracteres).
  • Evite inserir números, a não ser que sejam parte da sua marca (eles podem atrapalhar a legibilidade e confundir o usuário ao digitar o endereço).
  • Evite caracteres acentuados e hífens (embora os acentos sejam aceitos em algumas extensões, em alguns servidores eles podem causar problemas na configuração de e-mail e hospedagem).
  • Use palavras-chave, mas não abuse.
  • Faça uma pesquisa rápida com a concorrência.
  • Escolha uma categoria que combine com seu e-commerce (.com.br, .store etc.).

O último item, sobre categoria, nos leva ao segundo ponto que deve ser considerado ao registrar um endereço para o seu e-commerce: a extensão do domínio.

Extensões de domínio para loja virtual

Atualmente existem centenas de extensões de domínio para loja virtual. Uma extensão — também chamada de TLD (Top Level Domain) — é a terminação de um domínio e geralmente indica a qual categoria ele pertence: o .gov.br, por exemplo, se refere ao governo brasileiro, o .app, aos sites de aplicativos, e assim por diante.

Mas quais são as opções mais adequadas de extensão de domínio para e-commerce?

Sem dúvidas, as extensões .com.br e .com são as mais indicadas. Tanto o .com.br quanto o .com são extremamente populares e complementares entre si.

O .com.br é indicado para quem quer vender somente para o Brasil, uma vez que uso da terminação .br estabelece, tanto para o usuário quanto para o Google, que o site é voltado para o país. A propósito, é necessário ter um CNPJ ou um CPF para registrar um domínio .br. Já o .com é uma extensão global, sendo uma opção indicada para lojas que pretendem ter atuação internacional. Outra diferença entre as duas opções é a privacidade de domínio, não disponível nos domínios terminados em .br.

Inclusive uma dica importante é registrar vários domínios para a mesma loja. Isso protege o seu nome de domínio de terceiros e facilita que ele seja encontrado, principalmente por quem costuma digitar o endereço da loja direto no navegador. Aí, se você quiser manter tudo em um único lugar, basta redirecionar o domínio secundário para o endereço principal, como o “sualoja.com.br”, por exemplo.

GoDaddy é uma das empresas com ofertas para o domínio .com
GoDaddy é uma das empresas com ofertas para o domínio .com

Apesar dessas extensões serem bastante indicadas para quem está escolhendo um domínio para loja virtual, vale a pena conhecer alternativas. Algumas opções criativas são o .store e o .shop, que inclusive, foram criadas pensando em sites de e-commerce.

A vantagem dessas duas extensões é que ambas podem ser facilmente relacionadas à finalidade de comprar produtos ou serviços online, como por exemplo, no caso da loja de milhas emirates.store. A desvantagem é que, além de não serem tão comuns no Brasil, elas costumam ser bem mais caras, por serem extensões internacionais e sofrerem influência da variação do dólar.

o e-commerce da Emirates é um exemplo de uso de novas extensões ao escolher um domínio para loja virtual
E-commerce da Emirates utiliza a extensão .store

Outras extensões criativas para loja virtual

Se você possui uma loja virtual que comercializa produtos e serviços específicos, existem novas extensões de domínio que podem combinar com a categoria do seu negócio. Por exemplo, uma loja de produtos para Yoga pode ter um endereço com terminação .yoga, enquanto um e-commerce de jogos pode usar a extensão .games e por aí vai. A lista de novos domínios inclui terminações como .pet, .art, .games, .audio, .auto, .lgbt, .eco, .rio, .surf, .yoga, .moda, .online, .fashion, .tattoo, .cafe, .bar e .vip.

Estas são apenas algumas opções de extensão de domínio para loja virtual. As possibilidades são muitas! Vale a pena explorar as opções nos sites que fazem registro de domínio ou dar uma olhada nas categorias listadas pelo Registro.br, para ter mais ideias.

Como comprar domínio para loja virtual

Para ter um domínio, é necessário registrá-lo através de uma empresa. E o local mais indicado depende, entre outras coisas, da extensão de domínio escolhida, já que nem todos oferecem a mesma variedade de extensões.

De forma resumida, há quatro caminhos possíveis para comprar um domínio para loja virtual:

  1. Fazer o processo pelo site do Registro.br, que é a entidade brasileira responsável por administrar os domínios terminados em .br.
  2. Utilizar uma empresa de registro de domínios internacionais, como a Google Domains.
  3. Escolher uma empresa de hospedagem de sites, que geralmente vende domínios nacionais e internacionais, além de outros serviços.
  4. Registrar o domínio na empresa onde contratou a loja virtual, caso ela ofereça esse serviço.

Nas duas primeiras opções, o serviço está restrito ao domínio, enquanto nas demais é possível contar com serviços complementares. Essa é uma das vantagens de optar por registrar o domínio em uma empresa de hospedagem de site, por exemplo, que geralmente também oferece plataformas para criar loja virtual, como um criador de sites ou o WordPress, este último instalado gratuitamente na hospedagem. Aí fica mais fácil administrar tudo no mesmo lugar. A mesma conveniência se aplica às plataformas de e-commerce que oferecem o registro de domínio.

Loja virtual pronta na GoDaddy
Loja virtual pronta na GoDaddy

Caso queira entender em detalhes a diferença entre fazer o processo no Registro.br ou por meio de uma empresa de hospedagem de sites, opções mais comuns, recomendo que leia este artigo.

Quanto custa um domínio?

O preço do domínio para loja virtual ou qualquer outro tipo de site varia muito conforme a extensão escolhida. Para você ter uma ideia, existem domínios que podem custar R$ 5, enquanto outros podem chegar a R$ 500! Outro detalhe: o registro de domínio geralmente tem validade anual, por isso deve ser pago todo ano para se manter válido.

Veja abaixo uma pequena comparação entre os preços de domínio nacionais e internacionais feita com base no ranking de empresas de registro de domínio:

Extensão Registro.br GoDaddy HostGator Hostinger Google Domains
.com.br R$ 40
Renovação:
R$ 40/ano
R$ 19,99
Renovação:
R$ 64,99/ano
R$ 26,99
Renovação:
R$ 59,99/ano
R$ 36,99
Renovação:
R$ 42,99/ano
Não
comercializa
.br
.com Não
comercializa
R$ 23,99
Renovação:
R$ 64,99/ano
R$ 26,99
Renovação:
R$ 59,99/ano
R$ 40
Renovação:
R$ 43/ano
R$ 50
Renovação:
R$ 50/ano
.store Não
comercializa
R$ 15,97
Renovação:
R$ 427,30/ano
R$ 31,99
Renovação:
R$ 329,99/ano
R$ 5
Renovação:
R$ 304/ano
R$ 180
Renovação:
R$ 180/ano
.shop Não
comercializa
R$ 10,63
Renovação:
R$ 240,33/ano
Não oferece
o .shop
R$ 13
Renovação:
R$ 119/ano
Não oferece
o .shop
Visitar site Visitar site Visitar site Visitar site Visitar site
Preços praticados em setembro/2020 (podem sofrer variação)

Como podemos notar, uma vantagem de contratar um domínio pelo Registro.br ou pelo Google Domains é poder pagar exatamente o mesmo valor tanto na contratação quanto na renovação.

Porém, há uma restrição: no Registro.br você só consegue registrar domínios nacionais (como o .com.br) e o Google Domains só permite registrar domínios internacionais (como o .com e o .store).

Como disse anteriormente, a principal vantagem de optar por registrar um domínio por meio de uma empresa de hospedagem é que você pode contratar um plano de hospedagem junto com o domínio e ter acesso à ferramentas para criar sua loja virtual. Caso prefira, é possível também apontá-lo para uma plataforma externa ou até mesmo transferir o domínio para outra empresa no futuro.

Além disso, a maioria delas oferece a possibilidade de ter um ano de domínio próprio grátis, caso você contrate também o plano de hospedagem por períodos mais longos de assinatura, como o plano anual, por exemplo. Outras empresas ainda permitem registrar um domínio por dois, três ou mais anos.

A HostGator oferece 1 ano de domínio grátis nos planos anuais de hospedagem
A HostGator oferece 1 ano de domínio grátis nos planos anuais de hospedagem

Uma diferença que vale mencionar, porém, é que na empresa de hospedagem você vai pagar dois preços diferentes: o preço promocional de contratação e o preço de renovação (sem desconto) após o primeiro ano. No caso das extensões .store e .shop, por exemplo, é possível notar que apesar dos preços de entrada serem muito atraentes os valores de renovação são muito mais altos. É importante ficar atento a isso, para não ter surpresas depois.

Como funciona a compra e o processo de registro?

Finalmente chegou a hora de comprar um domínio para loja virtual. Atualmente existem milhares de empresas e lojas virtuais na internet, por isso a concorrência pela posse de um domínio pode ser alta. Assim, quanto mais rápido você garantir que a propriedade do domínio seja sua, melhor.

Abaixo você encontra um resumo simples de como funciona o processo de registro de domínio. Você também pode encontrar mais detalhes no artigo: Como registrar um domínio – passo a passo.

Pesquisa de domínio na Hostinger, que conta com um dos menores preços de renovação
Pesquisa de domínio na Hostinger, que conta com um dos menores preços de renovação
  1. Verifique se o domínio da sua loja virtual está disponível
  2. Cadastre-se na empresa registrante
  3. Realize o pagamento do registro
  4. Aguarde a aprovação
  5. Crie sua loja ou aponte o domínio para a plataforma que você usa

Enquanto aguarda a aprovação do pagamento do registro de domínio, fique atento ao seu e-mail (inclusive à caixa de Spam), pois algumas registrantes enviam instruções para confirmar seus dados e liberar a aprovação do seu domínio.

Em alguns casos, como o do Registro.br, é possível até acompanhar o status do processo por meio de notificações de e-mail. Ou ainda, você pode monitorar o andamento do registro direto no painel do cliente da sua empresa de hospedagem, como no exemplo abaixo:

Seção de domínios no painel de cliente da HostGator
Seção de domínios no painel de cliente da HostGator

Por quanto tempo o registro é válido?

O registro de domínio geralmente é válido por 1 ano, mas existem empresas que oferecem a opção de registrar por até dez anos. Veja um comparativo abaixo:

Registro.br GoDaddy HostGator Hostinger Google Domains
Duração do registro De 1 ano
até 10 anos
(desconto
progressivo)
1 ano
2 anos
3 anos
5 anos
10 anos
1 ano 1 ano
(2 e 3 anos
disponíveis
para .com.br
e .com)
1 ano
Visitar site Visitar site Visitar site Visitar site Visitar site

A vantagem de registrar o domínio da sua loja virtual por um longo prazo é que você evita perdê-lo por algum motivo, como por exemplo, quando o cartão de crédito expira ou simplesmente você esquece de pagar a fatura na época da renovação. Há empresas que inclusive vendem uma proteção adicional que cobre esse tipo de situação, como a GoDaddy.

Conclusão

Como vimos no artigo, descobrir qual o melhor domínio para loja virtual envolve pelo menos duas etapas importantes: a definição do nome e a escolha da extensão do domínio.

O nome do domínio deve ser simples e curto, preferencialmente ligado à sua marca, produto ou serviço. Já a extensão pode variar desde as mais populares, como .com e .com.br, até as novas terminações, como .shop e .store. Já o preço e a empresa de registro do domínio dependem da extensão escolhida.

Cada opção tem suas indicações, assim como seus prós e contras, então é preciso analisar todos esses fatores na hora de escolher o endereço virtual do seu e-commerce.

Agora que você já aprendeu como escolher um domínio para sua loja virtual, que tal dar o próximo passo? Confira o nosso ranking com a lista dos melhores sites para registrar domínio, encontre um nome criativo para sua loja e comece a vender online!

O artigo Domínio para loja virtual: tudo o que você precisa saber foi publicado originalmente em Tudo Sobre Hospedagem de Sites.

Como redirecionar um domínio no CloudFlare (gratuitamente e sem precisar de hospedagem)

Ilustração de um computador sendo redirecionado pelo CloudFlare

Muitos já sabem que o CloudFlare é uma ferramenta essencial para qualquer pessoa que possua um site e uma hospedagem. No entanto, nem todos têm conhecimento sobre a sua aplicação em diversos outros aspectos. Você sabia que é possível redirecionar um domínio no CloudFlare gratuitamente e sem a necessidade de um servidor de hospedagem?

Um redirecionamento de domínio pode ser útil em diversas situações, como por exemplo:

  • Apontar um domínio para um perfil em uma rede social;
  • Apontar um domínio adicional para o domínio principal de um site;
  • Redirecionar uma página para uma nova URL (quando houve mudança no endereço da página);
  • Redirecionar o domínio “A” para o domínio “B” (quando houve mudança no endereço do site).

Em todas as situações listadas acima o CloudFlare pode ser usado com sucesso. E o melhor, a configuração é bem simples, mesmo para aqueles que não são da área. Neste tutorial, você vai aprender a configurar diversos tipos de redirecionamento no CloudFlare. E o melhor: usando a versão gratuita do serviço. Vamos lá?

Índice

  1. Para quem este tutorial é indicado?
  2. Por que usar o CloudFlare para redirecionar um domínio
  3. Como redirecionar um domínio no CloudFlare
  4. Exemplos avançados de redirecionamento de URL no CloudFlare
  5. Dica: ative o SSL
  6. Conclusão

Para quem este tutorial é indicado?

Este tutorial para redirecionar domínios no Cloudflare é indicado principalmente para quem registrou um domínio e deseja apontá-lo para qualquer outro endereço. Seja uma página em rede social, uma plataforma de loja virtual que não permite a configuração de domínios personalizados, um site localizado em outro domínio etc.

Este tutorial também é indicado para aqueles que procuram configurações de redirecionamento mais avançadas usando o CloudFlare, como quando há mudança de endereço no site. Em casos como esse, quando um site existente possui páginas criadas, não basta apenas configurar um redirecionamento para a nova URL: é necessário preservar o restante do endereço no redirecionamento. Como por exemplo dominioA.com/páginaX redireciona para dominioB.com/páginaX. Também vamos cobrir essa situação aqui.

Por que usar o CloudFlare para redirecionar um domínio

Em poucas palavras: porque é gratuito, versátil e eficiente. O CloudFlare foi criado inicialmente como um serviço para proteger sites contra spam. No entanto, a plataforma evoluiu e incorporou diversos outros recursos em seu portfólio. São tantos que precisaríamos de vários posts para explicar todos eles. Vamos nos concentrar então no tópico principal deste tutorial, que é redirecionar domínios no CloudFlare.

Tradicionalmente, configurar o redirecionamento de um domínio ou página é algo que exige um servidor de hospedagem (além do próprio domínio em si). Isso ocorre porque o registro do domínio fornece apenas a garantia de uso do endereço e o gerenciamento das entradas de DNS. E, quando falamos de redirecionamento, estamos lidando com requisições e respostas do tipo HTTP, que é o protocolo sob o qual trafega a maior parte do tráfego na internet. Requisições HTTP são especialidade dos servidores web. Logo, o simples fato de registrar um domínio não inclui um servidor web e, por si só, inviabiliza a configuração de redirecionamentos ou encaminhamentos.

Algumas poucas empresas de registro de domínio vão além do registro e oferecem a comodidade de redirecionar domínios gratuitamente. Esse é o caso, por exemplo, do Registro.br. A entidade, no entanto, só oferece o registro de domínios nacionais (terminados em .br). Além disso, o redirecionamento oferecido é bastante limitado, infelizmente. Ao optar por usar o redirecionamento simples do Registro.br, não é possível fazer nenhuma configuração avançada de DNS, o que seria necessário para configurar subdomínios ou um serviço de e-mail profissional, por exemplo.

Portanto, para realizar redirecionamentos — simples ou complexos — antes do CloudFlare era necessário contratar um serviço de hospedagem de sites. Em muitos casos, simplesmente não vale a pena contratar tal serviço apenas para realizar um redirecionamento.

Felizmente o CloudFlare está aí para nos salvar. Tendo a missão de tornar a internet um lugar melhor, a empresa oferece um nível de serviços gratuito e que pode ser útil em diversas situações, como por exemplo no redirecionamento de domínios ou páginas. Além disso, não há um limite estabelecido para a inserção de domínios no plano gratuito do CloudFlare, ou seja, você pode ter vários domínios configurados na plataforma e continuar usando o serviço gratuitamente.

Como redirecionar um domínio no CloudFlare

Feitas as considerações, vamos aprender agora a redirecionar domínios no CloudFlare. Os passos básicos para fazer o redirecionamento são:

  1. Cadastre-se no CloudFlare e informe o domínio;
  2. Configure as entradas na zona de DNS do seu domínio;
  3. Aponte o domínio para os servidores do CloudFlare;
  4. Crie a regra de redirecionamento na seção “Page Rules”.

Para facilitar o entendimento, vamos ver em detalhes cada um dos passos mencionados acima e também alguns exemplos de redirecionamentos avançados no CloudFlare.

1. Cadastre-se no CloudFlare e informe o seu domínio

Se você ainda não possui uma conta no CloudFlare, cadastre-se na plataforma. Para isso, apenas Informe seu e-mail e crie uma senha. Para aqueles que já possuem uma conta no CloudFlare, basta clicar na opção “+ Adicionar site” ou “+Add site”, que aparece no topo de todas as páginas no painel.

O cadastro no CloudFlare exige apenas um e-mail e uma senha
O cadastro no CloudFlare exige apenas um e-mail e uma senha

Após informar o e-mail e a senha, você deve inserir o domínio no qual deseja configurar o redirecionamento no CloudFlare. Para isso, preencha a página em questão. A partir daqui, os passos são iguais mesmo para aqueles que já possuem uma conta no CloudFlare.

Depois de informar o e-mail e criar uma senha, informe o domínio que deseja redirecionar no CloudFlare
Depois de informar o e-mail e criar uma senha, informe o domínio que deseja redirecionar no CloudFlare

Na tela seguinte, é necessário selecionar um plano para usar o serviço. Como minha intenção é apenas redirecionar um domínio no CloudFlare, vou escolher o plano gratuito. Vale mencionar que, mesmo em outras situações, como otimizar o desempenho de um site, o plano gratuito também pode ser indicado.

O plano gratuito é indicado para diversas situações, como redirecionar domínios no CloudFlare
O plano gratuito é indicado para diversas situações, como redirecionar domínios no CloudFlare

2. Configure as entradas de DNS do domínio

Após definir o plano, é necessário revisar e editar os registros DNS do domínio. Aqui, é importante saber o seguinte:

O CloudFlare realiza uma varredura no domínio em busca de registros existentes na zona de DNS. O resultado dessa varredura é apresentado na tela, como podemos ver na imagem abaixo. No caso do domínio que estou utilizando, trata-se de um domínio novo, recém registrado, e que não possui nenhum serviço configurado, como e-mail ou site. Por isso, vou remover todas as entradas identificadas pelo CloudFlare. Se você possui algum serviço, como e-mail, configurado em seu domínio, tenha cuidado para não remover as entradas referentes ao serviço em questão. Em caso de dúvidas, consulte o suporte da empresa que presta o serviço para você.

Optei por remover as entradas de DNS existentes, pois ainda não tenho nenhum serviço configurado no meu domínio
Optei por remover as entradas de DNS existentes, pois ainda não tenho nenhum serviço configurado no meu domínio

Após excluir as entradas existentes, vou criar as entradas mínimas necessárias para o CloudFlare funcionar. Eu preciso ter apenas uma entrada do tipo A apontando para um IP qualquer. Como meu objetivo aqui é criar um redirecionamento e não possuo nenhum servidor de hospedagem para configurar este domínio, vou usar um IP reservado, que não aponta para nenhum servidor na internet. No caso, usarei o IP 192.0.2.0.

Para criar a entrada, clique no botão “+ Adicionar registro”. Selecione o tipo A, no primeiro campo. No campo Nome, insira apenas um @, que tem o mesmo efeito de inserir o domínio completo. Insira o IP reservado no campo “Endereço IPv4” e mantenha o TTL em “Auto” e o status “Com proxy”. Ao final, clique em “Salvar”.

Após preencher os campos, clique em Salvar para adicionar o registro na zona de DNS
Após preencher os campos, clique em Salvar para adicionar o registro na zona de DNS

Também desejo que a versão com “www” do meu domínio execute o redirecionamento. Por isso, vou inserir também outra entrada do tipo A. Dessa vez, no campo nome, insiro apenas www. Os demais campos são iguais.

Repita o procedimento para inserir o registro www na zona de DNS do domínio
Repita o procedimento para inserir o registro www na zona de DNS do domínio

Depois de inserir as duas entradas, elas vão aparecer listadas na tela. É importante que ambas as entradas esteja com a opção “Status do proxy” em “Com proxy”. Caso contrário, o redirecionamento não vai funcionar.

Para prosseguir com a configuração, clique no botão “Continuar”.

Clique no botão Continuar, ao final da edição

3. Aponte os nameservers do domínio para o CloudFlare

Depois de inserir as entradas mínimas necessárias na zona de DNS, o CloudFlare vai exibir as instruções para alteração dos nameservers. Nameservers, que significa “servidores de nome”, em tradução livre, são entradas do tipo NS que devem ser apontadas para os servidores que controlam a zona de DNS do domínio em questão. Comumente usamos a expressão “alterar o DNS de um domínio” quando na verdade estamos alterando os nameservers de um domínio. Para saber mais sobre isso, acesse nosso artigo sobre DNS.

As instruções de alteração de nameservers contêm um passo a passo do que deve ser feito para efetivamente apontar o seu domínio para os servidores da CloudFlare. Basicamente, você deve acessar o painel de controle da empresa onde registrou o domínio e substituir os nameservers padrão pelos informados no painel do CloudFlare.

Os nameservers criados para o meu domínio estão destacados na imagem abaixo.

As instruções para alteração dos nameservers são exibidas no painel do CloudFlare, juntamente com os valores de nameservers que devem ser utilizados
As instruções para alteração dos nameservers são exibidas no painel do CloudFlare, juntamente com os valores de nameservers que devem ser utilizados

Eu usei a GoDaddy para registrar o domínio que estou usando nesse tutorial, no entanto, esse procedimento pode ser feito em qualquer empresa de registro de domínios. Portanto, devo acessar o painel da empresa, no meu caso, a GoDaddy, para alterar os nameservers do meu domínio. Ao acessar a área de gerenciamento de nameservers, ou servidores de nomes, posso identificar os valores padrão criados pela GoDaddy. Devo então substituí-los pelos valores informados no painel da CloudFlare.

Painel da GoDaddy exibindo os namerservers previamente configurados em meu domínio
Painel da GoDaddy exibindo os namerservers previamente configurados em meu domínio

Depois de clicar no botão “Alterar”, faço a inserção dos novos nameservers, que copiei do painel do CloudFlare, e clico em “Salvar”.

Vale lembrar que este procedimento deve ser feito na empresa que você usou para registrar o seu domínio. Toda empresa de registro de domínios deve fornecer meios para alteração dos nameservers do domínio registrado.

Na tela de edição de DNS, faço a inserção dos nameservers fornecidos pelo CloudFlare
Na tela de edição de DNS, faço a inserção dos nameservers fornecidos pelo CloudFlare

Após a mudança, retorno ao painel do CloudFlare. Na mesma tela com as instruções de alteração há um botão “Concluído, verifique os nameservers”. Ao clicar no botão, não se surpreenda se a verificação não for concluída imediatamente. Essa demora é normal e faz parte do modo como a propagação dos domínios ocorre em toda a internet. Pode levar várias horas até que a alteração seja identificada pelo CloudFlare.

Depois de alterar os nameservers na empresa onde registrei o domínio, retorno ao CloudFlare para concluir a mudança
Depois de alterar os nameservers na empresa onde registrei o domínio, retorno ao CloudFlare para concluir a mudança

Depois de verificar com sucesso a alteração, a página inicial do painel do CloudFlare vai exibir um aviso informando que o CloudFlare está protegendo o seu site.

Após o CloudFlare identificar que os nameservers foram alterados, um aviso é exibido na página inicial do painel
Após o CloudFlare identificar que os nameservers foram alterados, um aviso é exibido na página inicial do painel

4. Crie a regra de redirecionamento de domínio no CloudFlare

Confirmado o apontamento do domínio, vamos à segunda parte do processo, que é a de efetivamente configurar o redirecionamento no CloudFlare. Para isso, clique no link “Page Rules”, no topo da página.

Visão inicial da página Page Rules, no painel do CloudFlare
Visão inicial da página Page Rules, no painel do CloudFlare

Em seguida, clique em “Criar Page Rules”.

Clique no botão Criar Page Rules para iniciar a configuração do redirecionamento no CloudFlare
Clique no botão Criar Page Rules para iniciar a configuração do redirecionamento no CloudFlare

Agora vem o momento que demanda mais atenção, onde vamos efetivamente configurar o redirecionamento no CloudFlare.

No primeiro campo, insira o padrão *dominio.com*, substituindo dominio.com pelo seu domínio. O asterisco é um caractere dinâmico derivado das expressões regulares e que representa qualquer outro caractere em qualquer quantidade. Esse tipo de caractere, em expressões regulares, também é conhecido como caractere curinga. No contexto dessa URL de exemplo, a regra vai valer para qualquer texto que vier antes ou depois do domínio. Por exemplo, usuários que acessarem os endereços www.dominio.com ou www.dominio.com/xyz serão afetados pela regra que definiremos a seguir.

Na área de configurações, selecione a opção “URL de encaminhamento” ou “URL Forwarding”, se estiver em inglês. Escolha o tipo de redirecionamento — 301 para redirecionamentos permanentes ou 302 para redirecionamentos temporários. Por último, indique o endereço para onde você quer redirecionar o seu domínio. Neste exemplo, estamos redirecionando o domínio em questão para a página do TSHS no Facebook.

Após preencher os campos, clique em “Salvar e implantar”.

Neste exemplo, estamos redirecionando o domínio para uma página no Facebook
Neste exemplo, estamos redirecionando o domínio para uma página no Facebook

A regra implementada aparece listada na página de Page Rules.

Após salvar a regra, ela fica listada na página Page Rules
Após salvar a regra, ela fica listada na página Page Rules

Pronto! Isso é tudo o que é necessário para criar um redirecionamento simples no CloudFlare. E você pode apontar o seu redirecionamento para onde desejar. Basta informar a página desejada no último campo.

Mas este exemplo não cobre todas as possibilidades. Vamos ver a seguir outros exemplos de aplicação dos redirecionamentos no CloudFlare.

Exemplos avançados de redirecionamento de URL no CloudFlare

O passo a passo que fizemos acima tem diversas aplicações. No entanto, o destino do redirecionamento será sempre uma determinada página, especificada no último campo de configuração da regra.

Mas o que fazer quando desejamos redirecionar uma URL que contém complementos e conservar estes complementos após o redirecionamento? Por exemplo, como fazer para redirecionar o endereço www.dominioA.com/quem-somos para www.dominioB.com/quem-somos? Vamos ver como fazer isso agora.

A solução para isso é usar variáveis na regra de redirecionamento. Como vimos, o uso de asteriscos no primeiro campo indica que qualquer valor naquele trecho do endereço será capturado. Portanto, no campo final, onde o redirecionamento é configurado, podemos usar variáveis. No CloudFlare, as variáveis são representadas pelo símbolo $ e por um numeral. O numeral indica a ordem de aparecimento do asterisco no primeiro campo.

Então, para redirecionar a página www.dominioA.com/pagina-qualquer para www.dominioB.com/pagina-qualquer, podemos inserir *dominioA.com* no primeiro campo e https://www.dominioB.com/$2, onde $2 representa uma variável que captura qualquer dado presente no segundo asterisco.

Exemplo de redirecionamento no CloudFlare que conserva o trecho posterior ao domínio na URL através do uso de variáveis
Exemplo de redirecionamento no CloudFlare que conserva o trecho posterior ao domínio na URL através do uso de variáveis

Veja alguns exemplos de redirecionamentos possíveis ao configurar essa regra:

  • http://dominioA.com/pagina-x redireciona para https://www.dominioB.com/pagina-x
  • https://www.dominioA.com/pagina-x redireciona para https://www.dominioB.com/pagina-x
  • https://dominioA.com/pagina-xyz redireciona para https://www.dominioB.com/pagina-xyz

Como vimos no exemplo acima, a variável referente ao primeiro asterisco foi omitida. Além de não ser necessário ter variáveis referentes a todos os asteriscos, o sistema exige o protocolo http:// ou https:// no início do endereço de redirecionamento, o que inviabilizaria usar a variável para o primeiro asterisco nesse caso em particular.

Este método também é útil quando desejamos que todo o tráfego seja feito sob o protocolo HTTPS. Nesse caso, vamos usar o mesmo domínio no segundo campo, inserindo o protocolo desejado no início da URL e a variável no final.

Exemplo de redirecionamento para o mesmo domínio, com o objetivo de forçar o carregamento das páginas usando HTTPS
Exemplo de redirecionamento para o mesmo domínio, com o objetivo de forçar o carregamento das páginas usando HTTPS

Nos dois exemplos acima, repare que o redirecionamento é do tipo 301 – permanente. Esse tipo de redirecionamento comunica aos mecanismos de busca que a mudança de URL é permanente e é recomendado em diversas situações, como as que exemplificamos aqui.

Leia também: Como configurar o SSL no WordPress (https)

Dica: ative o SSL para garantir que o protocolo HTTPS também será redirecionado

Para garantir que o redirecionamento também vai abranger as requisições feitas sob o protocolo HTTPS (ex.: https://dominio.com), habilite o uso de um certificado SSL no painel do CloudFlare.

O procedimento é muito simples. Vá até a seção SSL/TLS e escolha uma opção de criptografia. Em meu exemplo, como não possuo um servidor de hospedagem e estou usando o CloudFlare apenas para o redirecionamento, vou escolher a opção Flexível. Esta opção mantém criptografado apenas o tráfego entre o navegador e o CloudFlare.

Área de configuração de criptografia SSL, no painel do CloudFlare
Área de configuração de criptografia SSL, no painel do CloudFlare

Conclusão

Como vimos, é muito fácil redirecionar um domínio no CloudFlare. O serviço é poderoso e oferece uma gama de serviços bastante úteis, que vão além do redirecionamento, mesmo na modalidade gratuita. Além de configurar redirecionamentos no CloudFlare, também é possível gerenciar completamente o DNS de um domínio, proteger sites de ameaças, acelerar o carregamento das páginas, entre muitos outros recursos. Para saber mais, veja este artigo que explica em detalhes o que é e como configurar o CloudFlare.

Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário e terei prazer em ajudar.

Agora que você já configurou um redirecionamento, que tal criar um e-mail dentro do seu domínio? Um e-mail profissional pode aumentar a credibilidade do seu negócio e melhorar a sua imagem perante seus potenciais clientes. Visite o nosso ranking com os melhores provedores de e-mail profissional. Nele há, inclusive, uma opção gratuita. 😉

O artigo Como redirecionar um domínio no CloudFlare (gratuitamente e sem precisar de hospedagem) foi publicado originalmente em Tudo Sobre Hospedagem de Sites.

O que é loja virtual e como funciona

Ilustração de um casal realizando compras em uma loja virtual

Entender o que é uma loja virtual e como funciona é o primeiro passo para quem quer montar um e-commerce. Afinal, assim como qualquer negócio, uma loja virtual bem-sucedida requer planejamento e cuidado.

Existem diversas formas de vender seus produtos e serviços por meio do e-commerce e usar esse canal para ganhar dinheiro na internet. Desde comerciantes de roupas e calçados até fotógrafos e professores de yoga podem criar o seu próprio espaço online de venda.

Do lado do consumidor, uma loja virtual é a opção mais cômoda — e na maioria das vezes econômica — de encontrar produtos e serviços. Do lado do empreendedor, o e-commerce é uma alternativa para expandir vendas do comércio físico ou começar um negócio do zero sem grandes investimentos iniciais.

Mas afinal, o que é uma loja virtual e como funciona uma loja online na prática? Será que vale mesmo a pena abrir uma? Se você procura respostas para essas perguntas, então continue lendo este post!

O que é uma loja virtual

Loja virtual é um tipo de site que permite vender produtos e serviços na internet, por meio de um browser (navegador). Também é uma plataforma web acessível em qualquer dispositivo e capaz de capturar pedidos e processar pagamentos.

Para entender o que é uma loja virtual, imagine um carro. Semelhantemente a um veículo, ela precisa ter vários sistemas integrados para poder funcionar. Por exemplo, a hospedagem de sites seria equivalente ao “chassi” do carro. Ou seja, a hospedagem é a estrutura-base responsável por suportar todos os outros sistemas de um e-commerce.

Do mesmo modo, o domínio da sua loja é um endereço único, como se fosse a placa que identifica um veículo. Já o registro de domínio garante que ele pertence apenas ao seu proprietário, assim como o documento de compra e venda emitido pelas autoridades de trânsito.

Além da hospedagem e do domínio, a loja virtual também precisa de outros recursos para “fazer o carro andar”. De forma geral, existem muitas plataformas de e-commerce que já oferecem essa modalidade. Elas possuem templates e sistemas prontos para cadastrar produtos e processar pedidos e pagamentos, por exemplo. Alguns criadores de site também permitem realizar venda online.

Exemplo de template e painel de administração da Tray
Exemplo de template e painel de administração da Tray

Mesmo assim, entender como uma loja virtual funciona dentro destas plataformas será importante no dia a dia da sua operação, como veremos logo a seguir.

Segmentos e categorias de loja virtual

É importante ressaltar ainda que existem inúmeros tipos e segmentos de loja virtual. O Mercado Livre e a Magazine Luiza, por exemplo, são plataformas que conectam vendedores ao consumidor final. Em resumo, este tipo de e-commerce que “empresta” sua plataforma para fazer a mediação da venda é chamada de marketplace.

Além dos marketplaces, também existem outros modelos de e-commerce como o B2B (Business to Business), o D2C (Direct to Customer) e o B2C (Business to Customer) — modalidade mais comum, na qual uma loja virtual vende direto para seus consumidores.

Apesar das particularidades de cada modelo, todos eles são e-commerces no final das contas, pois vendem produtos ou serviços por meio de suas plataformas web. Entre as categorias mais comuns do e-commerce de produtos comercializados por estas lojas online estão:

  • Eletrônicos
  • Celulares e telefonia
  • Casa, móveis e decoração
  • Moda e acessórios
  • Perfumaria e cosméticos
  • Eletrodomésticos
  • Autopeças
  • Alimentos e bebidas
  • Produtos para pets
  • Ferramentas
  • Games e acessórios

Já alguns exemplos de categorias do e-commerce de serviços são:

  • Assistência técnica
  • Aulas e cursos online
  • Serviços automotivos
  • Consultoria
  • Design e tecnologia
  • Eventos
  • Reformas (construção, reparos e serviços gerais)
  • Serviços de saúde (enfermeiros, psicólogos, nutricionistas etc.)
  • Serviços domésticos (diaristas, cozinheiros, motoristas etc.)
Tema do Wix permite vender aulas e cursos online
Tema do Wix permite vender aulas e cursos online

Como funciona uma loja virtual

Agora que você já sabe o que é uma loja virtual, fica muito mais fácil entender como ela funciona.

Voltando à comparação com a mecânica automotiva, imagine que cada venda realizada na sua loja online é como se fosse o combustível do seu carro. Ao clicar no botão “comprar”, o consumidor começa girar a chave de ignição. Ou seja, ele “dá partida” no carro e assim o combustível percorre seu caminho até chegar ao motor.

No caso da loja virtual, a venda é capturada pelo sistema de pagamento e antifraude, depois segue para o sistema que gera a nota fiscal e informa que o produto precisa ser separado do estoque. Daí ele segue para ser empacotado pelos operadores até finalmente chegar ao destino final: que, neste caso, é o endereço do cliente.

Dependendo da plataforma usada pelo lojista é possível contar com um painel de controle para monitorar todo o processo de venda e rastreio do produto. A vantagem de ter um recurso como esse é que, assim como o painel de um carro, você consegue prever quando precisará “abastecer” seu estoque, por exemplo.

Veja abaixo um breve resumo de como uma loja virtual funciona:

Principais etapas do funcionamento de uma loja virtual
Principais etapas do funcionamento de uma loja virtual

Principais sistemas que fazem uma loja virtual funcionar

  • Sistema de pagamentos online e antifraude: o sistema de pagamento é responsável por receber o pedido de venda e informar o seu status de pagamento (“em análise”, “aprovado” ou “reprovado”, por exemplo). Além disso, o sistema de antifraude verifica a veracidade destes pagamentos, identificando possíveis fraudes. Estes sistemas são chamados de “gateways de pagamento” e oferecem a possibilidade de receber pagamentos via cartão de crédito, boletos, depósitos bancários etc.
  • Sistemas de segurança: responsáveis por garantir a segurança da navegação do cliente na loja virtual. Os mais conhecidos são o Certificado de Segurança SSL (Secure Socket Layer) que codifica os dados que circulam entre o usuário e o site e o Scan de Aplicação e IP, responsável por “escanear” seu site a procura de falhas para corrigir.
  • Sistema de gestão de estoque e pedidos (backoffices ou ERPs): responsável por armazenar os produtos cadastrados e informar a quantidade de produtos disponíveis no estoque. Esses sistemas também ajudam o lojista na conferência, separação e empacotamento do pedido (processo chamado de picking and packing), bem como a emitir etiquetas de envio e notas fiscais.
  • Sistema logístico e de entrega: responsável por coletar as encomendas da loja online e realizar a expedição e a entrega do produto nas mãos do cliente. Alguns exemplos de sistemas que fazem isso e podem estar integrados à loja são os Correios e as transportadoras privadas.

Lembre-se que estamos explicando apenas os sistemas que fazem a loja virtual funcionar. Vale ressaltar que torná-la um sucesso envolve ainda algumas outras estratégias. Como por exemplo, divulgar ofertas e serviços por meio das redes sociais ou disparos de e-mail e ainda investir em um bom atendimento ao cliente.

Por que ter uma loja virtual

Investir em uma loja online é uma ótima estratégia para ganhar dinheiro na internet porque o e-commerce é um segmento em ascensão. Ao entender o que é uma loja virtual e como ela funciona é possível perceber que o comércio eletrônico segue uma mudança de comportamento no consumo das pessoas.

Por oferecer comodidade para quem compra, as lojas virtuais já são o canal de comércio preferido pela maioria dos consumidores brasileiros. Além disso, graças ao crescimento do acesso à internet e do uso de smartphones, as pessoas passam mais tempo conectadas e as vendas online crescem ano a ano.

Poder comparar preços ou economizar tempo são algumas das vantagens que mais atraem os consumidores. Veja outros motivos que fazem os consumidores preferirem comprar online, segundo o Google:

  • Preços e promoções atraentes
  • Prazo de entrega curto
  • Opção de retirar na loja
  • Boas condições de pagamento
  • Parcelamento

Vantagens de ter uma loja virtual

Criar umaloja online tem diversos pontos positivos. Entre eles está o custo inicial menor que o de uma loja tradicional. Ao contrário de quando vamos abrir uma loja física, abrir uma loja virtual é um pouco mais simples e exige investimentos iniciais menores.

Enquanto na loja física é preciso escolher uma boa localização e gastar com aluguel e reformas do prédio ou sala comercial, no e-commerce esses custos podem ser reduzidos ao registro de um domínio e à uma hospedagem de sites ou plataforma de e-commerce. Ainda que isso represente apenas uma parte do processo de criação da loja virtual, já dá para ter uma noção de como as modalidades são diferentes.

Empresas como a HostGator oferecem hospedagem para plataformas open-source
Empresas como a HostGator oferecem hospedagem para plataformas open-source

É claro que também precisará investir no seu próprio estoque. Porém você pode fazer isso de forma gradual, enquanto o seu negócio cresce. Ou até mesmo pode começar vendendo no modelo dropshipping. Neste tipo de venda online, você recebe o pedido primeiro e solicita o produto ao fornecedor depois.

Outro motivo para abrir uma loja online é poder expandir as barreiras de localização e alcançar consumidores fora da sua região. Enquanto na loja física você estará sempre limitado aos clientes do seu bairro ou cidade, na internet não há limites para vender seu produto ou serviço.

Por fim, abrir uma loja virtualé ter a oportunidade para trabalhar em casa, investindo poucos recursos no início da operação. Assim, enquanto na loja física só é possível trabalhar em horários determinados, na internet ela funciona como um negócio “aberto” 24 horas.

Desvantagens de ter uma loja virtual

Mas nem tudo são flores. Como qualquer outro tipo de negócio, o e-commerce também possui desafios. Os custos com marketing, anúncios e ferramentas para atrair tráfego (visitantes) no longo prazo são algumas desvantagens de uma loja virtual.

Outra desvantagem é ter que lidar com os custos de frete. Segundo dados do Google, 35% dos consumidores virtuais compram online por conta do frete barato ou grátis.

Porém, dependendo da região onde seu cliente está pode ser bem caro fazer o seu produto chegar até ele. Por isso, é recomendado sempre adotar critérios para oferecer frete grátis. Assim você não compromete sua margem de lucro e evita prejuízos.

Outra desvantagem é ter que lidar com as trocas e devoluções de produto. No Brasil, o índice geral de troca e devolução no e-commerce fica em 5%, enquanto alguns ramos são mais afetados, como o de moda, que possui uma taxa de retorno de 30%.

Para evitar devoluções e trocas é preciso investir em boas descrições de produto, imagens, vídeos sobre uso do produto e tabelas de medida, por exemplo. Como o cliente não experimentou o produto em mãos, garantir que as informações sobre o produto estejam claras é a melhor solução para evitar reclamações e devoluções.

Qual é a melhor plataforma para sua loja online

Ao entender o que é uma loja virtual fica claro que a escolha da plataforma de e-commerce é uma das etapas mais importantes para o sucesso do seu empreendimento. Existem dezenas de ótimas plataformas de e-commerce gratuitas. Outras oferecem teste grátis por um tempo limitado.

Se você é um pequeno empreendedor e está começando sua loja virtual agora, avalie as opções gratuitas ou as plataformas de e-commerce que oferecem planos de baixo custo. Mas fique atento: algumas soluções gratuitas permitem cadastrar um número limitado de produtos e receber um determinado número de visitas.

Nuvemshop permite testar gratuitamente por 30 dias
Nuvemshop permite testar gratuitamente por 30 dias

Caso sua preferência seja pelo WordPress, é possível vender online através do plugin WooCommerce ou pelo plano eCommerce, disponível na versão hospedada pelo WordPress.com.

Lembre-se: ter uma loja na internet é uma ótima oportunidade para vender produtos e serviços a qualquer hora, de qualquer lugar. Assim, você pode expandir negócios e ganhar novos consumidores de forma muito mais fácil e rápida.

Antes mesmo de colocar seus produtos ou serviços à venda, não se esqueça de fazer o planejamento. É muito importante conhecer minimamente o mercado no qual sua loja vai atuar e as preferências de quem vai comprar. Acredite, esta lição de casa fará toda a diferença no sucesso de suas vendas online.

E agora que você já sabe o que é uma loja virtual e como ela funciona, que tal aprender como montar uma loja virtual hoje mesmo? Confira o Guia para um e-commerce de sucesso.

Crédito imagem topo: adaptação de vetor cedido por Freepik.

O artigo O que é loja virtual e como funciona foi publicado originalmente em Tudo Sobre Hospedagem de Sites.

Setor de tecnologia e profissionais liberais ganham novas extensões de domínio .br

Novas extensões do Registro.br

Se há um setor em franco crescimento no Brasil e no mundo é o da tecnologia. A cada dia, novos negócios e produtos são lançados no mercado, transformando radicalmente a maneira como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Basta olhar ao redor para ver como a tecnologia está presente no nosso dia a dia, nos produtos que consumimos, nos lugares que frequentamos e na forma como nos comunicamos.

Uma parte desse avanço que vemos hoje se deve à Internet, que nos permitiu ter acesso a conteúdos e pessoas nos quatro cantos do planeta, e que também foi fundamental para a criação de novas profissões e espaços de trabalho. Atualmente, qualquer pessoa ou empresa com acesso à Internet pode compartilhar suas ideias e divulgar seus serviços em plataformas e redes sociais, muitas vezes de forma gratuita.

Alinhado com essa tendência global e atendendo a sugestões de instituições e profissionais brasileiros, o Registro.br lançou novas extensões de domínio .br, disponíveis para registro a partir de 20 de julho. Elas são voltadas para setores e atividades como tecnologia, logística e design, entre outras, que até então não tinham sua própria categoria .br. Saiba mais sobre as novas terminações .br a seguir.

Novas extensões lançadas pelo Registro.br

Ao todo, foram criadas 12 novas extensões de domínio .br, incluindo .app.br, .dev.br e .tec.br. Elas se somam aos mais de 130 DPNs (Domínios de Primeiro Nível) existentes no Registro.br, que atualmente abrangem terminações para pessoas jurídicas, pessoas físicas, profissionais e até mesmo cidades brasileiras.

A iniciativa é resultado da participação da sociedade, como comenta Demi Getschko, diretor-presidente do NIC.br: “Sempre que possível, contamos com a colaboração da sociedade para rotineiramente enriquecer as categorias já existentes, a partir de sugestões que recebemos de profissionais e instituições interessadas em melhor definir sua área de atuação através da escolha do melhor nome de domínio para seu projeto e sítio web. Esses novos domínios, que lançaremos dia 20, vieram dessas contribuições”.

Demi Getschko frisa ainda a importância da criação dessas novas extensões: “O nome de domínio é a identificação do usuário na rede, algo essencial para marcar a presença de uma atividade. Ao lançar novos DPNs, haverá ainda mais opções dentro das categorias pré-existentes para que se escolha um nome mais adequado para cada iniciativa, seja para um serviço ou produto, seja para o conteúdo que deseja publicar na Internet”.

Conheça abaixo as novas terminações .br disponíveis para registro e para quem elas são indicadas.

Novas extensões .br genéricas:

  • app.br – aplicativos (alternativa à extensão .app)
  • dev.br – desenvolvedores e plataformas de desenvolvimento (alternativa à extensão .dev)
  • log.br – logística
  • seg.br – segurança
  • tec.br – tecnologia (alternativa à extensão .tech)

Novas extensões .br para profissionais liberais:

  • bib.br – bibliotecários e biblioteconomistas
  • des.brdesigners e desenhistas (alternativa à extensão .design)
  • det.br – detetives e investigadores particulares
  • enf.br – profissionais de enfermagem
  • coz.br – profissionais de gastronomia
  • geo.br – geólogos
  • rep.br – representantes comerciais

Vale a pena optar pelas novas extensões .br?

Pode ser interessante considerar uma das novas terminações para o endereço do seu site, se você deseja registrar um domínio .br e atua em um dos setores e profissões contemplados na lista. Só não deixe de garantir também as extensões mais populares.

Para fazer isso, é possível registrar o domínio no Registro.br ou através de uma empresa de hospedagem. Para saber os prós e contras de cada opção, recomendo a leitura deste nosso artigo.

Página de registro de domínio no Registro.br
Página de registro de domínio no Registro.br

Há ainda a opção de registrar o seu endereço em um domínio internacional, e contar com recursos interessantes, como a privacidade de domínio. Por outro lado, os domínios terminados em .br oferecem benefícios que podem tornar esta opção mais vantajosa.

A primeira está no preço estável e barato. Com uma anuidade de R$ 40 desde 2017 (ficou em R$ 30 por 13 anos), e descontos para períodos mais longos, o Registro.br oferece o menor preço quando consideramos o registro e a renovação do domínio.

Além disso, a cobrança é feita em Real e não tem seu preço atrelado à variação do dólar. O gráfico abaixo mostra o crescimento expressivo no registro de domínios .br nos últimos meses, quando a moeda americana registrou grande valorização.

Domínios .br registrados nos últimos 12 meses - fonte: site Registro.br
Domínios .br registrados nos últimos 12 meses – fonte: site Registro.br

Outra vantagem é o redirecionamento gratuito de domínios, oferecido pelo Registro.br. Com ele é possível redirecionar o seu domínio de forma gratuita para uma rede social, por exemplo. Se você tem interesse, confira nosso tutorial sobre como usar esse recurso.

Por fim, temos terminações .br criadas especialmente para determinados setores ou profissões, em português. Apesar de interessantes, nem todas as extensões especiais internacionais fazem sentido para o público brasileiro, ao contrário do que acontece com os domínios .br. É o caso de terminações como .life, .biz e .space, por exemplo.

Veja também: 7 Motivos para registrar um domínio .br

Preços das novas extensões .br versus internacionais

Quando comparamos os preços das duas modalidades — nacional e internacional, temos diferenças ainda maiores. Veja, na tabela abaixo, os preços atuais das extensões no Registro.br comparados com os preços das extensões similares internacionais, vendidasem uma empresa global de domínios.

Registro.br Empresa de domínios
.app.br R$ 40 .app R$ 50
.dev.br R$ 40 .dev R$ 50
.tec.br R$ 40 .tech R$ 140
.des.br R$ 40 .design R$ 140
.blog.br R$ 40 .blog R$ 110
.med.br R$ 40 .doctor R$ 350
.taxi.br R$ 40 .taxi R$ 210

Para efeito de comparação, optei por utilizar os preços regulares, desconsiderando promoções para o 1º ano de registro, comuns em empresas de registro de domínio. Isso porque a partir do segundo ano, o preço da renovação passa a ser o mais importante.

Como podemos ver, os preços de anuidade das extensões .br são muito inferiores aos das extensões internacionais. Diferença essa que costuma se repetir em outras empresas, já que todas revendem do mesmo “fornecedor” (Registry).

Mesmo considerando que são extensões diferentes, e que uma ou outra pode ser mais indicada para uma determinada necessidade, a versão brasileira do domínio é a que oferece o melhor custo-benefício. Com essa iniciativa do Registro.br, mais profissionais e empresas brasileiras podem contar com categorias de domínios exclusivas para seus setores e atividades. E tudo isso, por um preço justo. 🙂

Ficou interessado em garantir seu domínio? Veja aqui onde registrar o seu endereço virtual.

Crédito imagem topo: adaptação de vetor cedido por Freepik.

O artigo Setor de tecnologia e profissionais liberais ganham novas extensões de domínio .br foi publicado originalmente em Tudo Sobre Hospedagem de Sites.

Criar site grátis: 17 ferramentas gratuitas para criar o seu site (+ dicas para você escolher)

Mulher sentada em uma mesa digitando em um computador sobre a mesa. Do computador sai um navegador com um site e uma faixa escrito grátis sobre o navegador.

Quem poderia imaginar que um dia seria tão fácil criar um site grátis. Antigamente, tínhamos apenas uma ou outra opção sem custo, que decepcionava em design e recursos. Agora temos dezenas de ferramentas gratuitas disponíveis, com funcionalidades que permitem a qualquer pessoa criar um site gratuito bonito e funcional.

Mas isso não significa que de graça vale até injeção na testa. Os criadores de sites gratuitos diferem muito entre si e é preciso saber escolher a melhor ferramenta, mesmo que seja gratuita. Além do mais, se você pode ter o melhor de graça, por que escolher o pior, não é mesmo?

Para te auxiliar, preparei uma seleção abaixo com 17 ferramentas gratuitas para criar site grátis, destacando os pontos principais de cada uma. Assim fica mais fácil para você fazer a sua escolha. Vamos lá!

Índice

  1. Wix
  2. WordPress.com
  3. Google Sites
  4. Blogger
  5. Webnode
  6. Zyro
  7. Weebly
  8. Yola
  9. Site123
  10. Mailchimp
  11. Jimdo
  12. Mozello
  13. Strikingly
  14. IM Creator (XPRS)
  15. Flazio
  16. Site.com.br
  17. Comunidades.net
  18. Prós e contras ao criar um site grátis
  19. Quando criar um site grátis pode ser a melhor opção?

1. Wix

Captura de tela extraída do site Wix. que permite criar sites gratuitamente

O Wix é uma das ferramentas de criação de sites mais populares da atualidade. Usado por mais de 150 milhões de usuários no Brasil e no mundo, o Wix é um dos melhores criadores de sites, inclusive para quem deseja criar um site grátis, por conta dos recursos oferecidos nessa versão.

Diferenciais: como pontos fortes do Wix estão o editor fácil de usar, os templates atraentes e profissionais, o banco de imagens exclusivo, e as ferramentas de marketing e gestão de clientes. Além disso, tem um dos menores preços de entrada nos planos pagos (R$ 6).

Se desejar saber mais sobre a ferramenta, leia nossa análise sobre o Wix.

Características do plano gratuito Wix

  • Endereço gratuito: nomedousuario.wixsite.com/endereco
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: 500 MB
  • Recurso de blog
  • Exibe anúncios do Wix
  • Plano premium a partir de R$ 6

Visitar Wix ›

2. WordPress.com

Captura de tela extraída do site WordPress.com

O WordPress é usado por nada menos que 37% dos sites na internet, o que o torna uma opção fantástica para criar site grátis. Apesar de todo WordPress ser gratuito, esta é a versão do WordPress.com que permite publicar um site ou blog inteiramente grátis, sem custo de hospedagem. Apesar de mais restrito na versão gratuita, o WordPress.com oferece bons recursos e é uma das ferramentas mais amigáveis aos mecanismos de pesquisa. Para conhecer mais, leia nossa análise sobre o WordPress.com.

Diferenciais: o WordPress.com é a melhor ferramenta para criar um blog gratuito, com ótimo espaço de armazenamento (comparado às demais opções). Essa versão do WordPress também traz comodidade para quem deseja focar no seu site, deixando os aspectos técnicos por conta da empresa (se procura mais flexibilidade e controle, veja aqui como criar um site na versão instalada do WordPress).

Características do plano gratuito do WordPress.com

  • Endereço gratuito: endereco.wordpress.com
  • Armazenamento: 3 GB
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Favicon personalizado
  • Não permite Google Adsense
  • Exibe anúncios do WordPress
  • Plano premium a partir de R$ 12

Visitar WordPress.com ›

3. Google Sites

Captura de tela do editor do Google Sites

O Google Sites é o criador de sites grátis do Google. A ferramenta conta com os principais recursos para criar um site gratuito, incluindo a possibilidade de conectar um domínio próprio, uma vantagem sobre outras ferramentas sem custo. Por ser mais básico, tanto em temas quanto em funcionalidades, o Google Sites é ideal para sites corporativos ou pessoais. O editor está disponível para uso apenas em computadores. Para se aprofundar, leia nosso artigo sobre como criar um site no Google Sites.

Diferenciais: a ferramenta permite conectar um domínio personalizado de forma gratuita e tem integração com outros apps do Google, como o Drive e o Gmail (incluindo a versão empresarial G Suite), facilitando a criação e edição de forma colaborativa. O Google Analytics, ferramenta de análise de visitas, também está disponível para uso.

Veja aqui como configurar um domínio personalizado no Google Sites (incluindo SSL)

Características básicas do Google Sites

  • Endereço gratuito: sites.google.com/view/endereco ou domínio próprio (precisa ter ou registrar um domínio)
  • Armazenamento: a partir de 15 GB (compartilhado com outros apps do Google, como Drive e Gmail)
  • Largura de banda: não especificada
  • Favicon personalizado
  • Sem anúncios da empresa
  • Não possui recurso de blog e e-commerce
  • Plano 100% gratuito

Visitar Google Sites ›

4. Blogger

Captura de tela do Blogger

O Blogger é uma das ferramentas mais antigas da internet e foi comprada pelo Google em 2003. Muito popular, o Blogger é versátil e serve para qualquer tipo de site, sendo ideal para blogs. Apesar de um pouco limitado e antigo, o Blogger é uma excelente forma de começar um site ou blog grátis. Veja aqui como criar um blog no Blogger.

Diferenciais: é totalmente gratuito, permite o uso de domínio personalizado e também disponibiliza o uso de ferramentas externas, como Google Adsense e Google Analytics, quase sempre restritos a planos pagos.

Aprenda neste tutorial como configurar um domínio personalizado no Blogger

Características básicas do Blogger

  • Endereço gratuito: endereco.blogspot.com ou domínio próprio (basta ter um domínio)
  • Armazenamento: a partir de 15 GB (compartilhado com outros apps do Google, como Drive e Gmail)
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Favicon personalizado
  • Google Adsense
  • Aceita pagamento online: com limitações (veja aqui lojas virtuais com versão gratuita)
  • Sem anúncios da empresa
  • Plano 100% gratuito

Visitar Blogger ›

5. Webnode

Captura de tela do site da Webnode

A Webnode é um criador de sites grátis bastante conhecido aqui no Brasil e figura no nosso ranking de melhor construtor de sites. A empresa oferece planos gratuitos e pagos, com recursos que incluem blog, loja virtual e e-mail, entre outros. A versão gratuita é bastante limitada em espaço de armazenamento, mas suficiente para um site pequeno ou institucional.

Diferenciais: simplicidade e facilidade de uso, temas bonitos e modernos, e bons recursos para sites são os pontos fortes da Webnode.

Características do plano gratuito do Webnode

  • Endereço gratuito: endereco.webnode.com
  • Armazenamento: 100 MB
  • Largura de banda: 1 GB
  • Recurso de blog
  • Exibe anúncios do Webnode
  • Plano premium a partir de R$ 11,95

Visitar Webnode ›

6. Zyro

Captura de tela do criador de sites Zyro

O Zyro é uma excelente ferramenta para criar site grátis. No mercado há muitos anos, ele foi relançado em 2020 e ganhou uma interface moderna, além de templates bonitos e profissionais. A ferramenta é ideal para quem quer construir um site simples e atraente.

Diferenciais: facilidade e rapidez para criar um site profissional, graças ao excelente design dos templates e à uma interface simples e intuitiva para o usuário.

Características do plano gratuito do Zyro

  • Endereço gratuito: endereco.zyrosite.com
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: 500 MB
  • Exibe anúncios do Zyro
  • Plano premium a partir de US$ 1,99

Visitar Zyro ›

7. Weebly

Captura de tela do site Weebly

O Weebly é um dos criadores de sites gratuitos mais populares do mundo, com mais de 40 milhões de usuários. Além de ter temas para sites, blogs e lojas virtuais, a ferramenta conta com uma série de recursos adicionais, para diferentes necessidades.

Diferenciais: o Weebly permite inserir o Google Analytics na versão gratuita e também permite trocar o tema de um site, mesmo depois de personalizá-lo.

Características do plano gratuito do Weebly

  • Endereço gratuito: endereco.weebly.com
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Google Adsense
  • Exibe anúncios do Weebly
  • Plano premium a partir de US$ 5

Visitar Weebly ›

8. Yola

Captura de tela do site Yola

O Yola é um criador de sites grátis bem antigo e possui mais de 12 milhões de usuários. O editor de sites é moderno e fácil de usar, mas outras seções ainda exibem a versão anterior da ferramenta. O plano gratuito permite criar apenas 2 sites, sendo cada site com até 2 páginas, o que é bastante restrito. Pode atender aqueles que querem criar um site grátis pequeno ou de uma página.

Diferenciais: o Yola oferece umbom espaço de armazenamento e permite trocar o modelo do site a qualquer momento, mesmo depois da publicação. Também tem um assistente que facilita os primeiros passos na construção do site.

Características do plano gratuito do Yola

  • Endereço gratuito: endereco.yolasite.com
  • Armazenamento: 1 GB
  • Largura de banda: não especificada
  • Favicon personalizado
  • Exibe anúncios do Yola
  • Plano premium a partir de R$ 23,45

Visitar Yola ›

9. Site123

Página inicial do criador de sites Site123

Para criar um site grátis no Site123, você escolhe a categoria do seu negócio e a ferramenta ativa um template para o seu site. Não há como escolher seu próprio template. Apesar de ser fácil de usar, tem mais limitações que outras ferramentas no plano gratuito, uma vez que não permite ao usuário escolher seu endereço para o site.

Diferenciais: o assistente da ferramenta, que escolhe o template para o usuário de acordo com a categoria do site, pode trazer conveniência para usuários menos experientes.

Características do plano gratuito do Site123

  • Endereço gratuito: endereco.site123.me (não pode ser personalizado e é aleatório, como 5f0603d0d2a6en8.site123.me)
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: 1 GB
  • Recurso de blog
  • Exibe anúncios do Site123
  • Plano premium a partir de R$ 26,47

Visitar Site123 ›

10. Mailchimp

Captura de tela do criador de sites do MailChimp

O Mailchimp é uma das ferramentas de e-mail marketing mais populares do mundo e recentemente passou a oferecer um criador de sites gratuito. Com ele é possível criar um site grátis ou uma landing page simples e integrá-los com diversas ferramentas de marketing da empresa. O website builder está disponível somente em inglês.

Diferenciais: permite usar um domínio personalizado, permite inserir o Google Analytics e está integrado às demais ferramentas da empresa. O plano gratuito do Mailchimp permite ainda ter uma base de até 2.000 contatos.

Características do plano gratuito do Mailchimp

  • Endereço gratuito: endereco.mailchimpsites.com
  • Armazenamento: Não especificado
  • Largura de banda: Não especificada
  • Exibe marca Mailchimp
  • Plano 100% gratuito

Visitar Mailchimp ›

11. Jimdo

Página inicial do Jimdo

O Jimdo é uma ferramenta popular, com mais de 25 milhões de usuários em diversos países. Com ele, é possível criar um site grátis de até 3 páginas, através de um editor muito moderno e bem fácil de usar. Apesar de ser excelente, tem a desvantagem de não estar disponível em português. Faz falta também o recurso de blog e um limite maior de páginas.

Diferenciais: o Jimdo conta com um assistente que auxilia na criação inicial do site e também disponibiliza um banco de imagens profissionais gratuito.

Características do plano gratuito do Jimdo

  • Endereço gratuito: endereco.jimdosite.com
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: 2 GB
  • Exibe anúncios do Jimdo
  • Plano premium a partir de US$ 9

Visitar Jimdo ›

12. Mozello

Página inicial do site Mozello

O Mozello permite criar site grátis e incluir nele um blog e uma pequena loja virtual, mas infelizmente a versão gratuita não disponibiliza o certificado SSL — aquele cadeado de segurança exibido no navegador e considerado cada vez mais importante em qualquer site. Ainda assim, é uma opção que possui algumas vantagens, detalhadas a seguir.

Diferenciais: a ferramenta permite inserir o código do Google Analytics e também alterar o tema a qualquer momento, mesmo depois do site publicado. Também oferece o recurso multi-idiomas gratuitamente, embora seja uma solução um tanto rudimentar.

Características do plano gratuito do Mozello

  • Endereço gratuito: endereco.mozello.com
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Recurso de loja virtual para até 5 itens
  • Exibe anúncios do Mozello
  • Não possui certificado SSL (https)
  • Plano premium a partir de US$ 7

Visitar Mozello ›

13. Strikingly

O Strikingly tem um editor de sites mais antigo, mas cheio de recursos e relativamente fácil de usar. A ferramenta permite criar um site grátis, mas também adicionar um blog e uma loja virtual para até 1 produto. Seu ponto fraco fica por conta do certificado SSL, não disponível no plano gratuito.

Diferenciais: permite ter uma loja virtual para 1 produto e inserir Google Analytics na versão gratuita da ferramenta.

Características do plano gratuito do Strikingly

  • Endereço gratuito: endereco.mystrikingly.com
  • Armazenamento: 500 MB
  • Largura de banda: 5 GB
  • Recurso de blog
  • Recurso de loja virtual para 1 produto (físico ou serviço)
  • Favicon personalizado
  • Exibe anúncios do Strikingly
  • Não possui certificado SSL (https)
  • Plano premium a partir de US$ 8

Visitar Strikingly ›

14. IM Creator (XPRS)

Página do criador de sites IM Creator

Mais de 17 milhões de sites já foram criados pelo IM Creator. Com temas elegantes e prontos para todos os tipos de negócio, a ferramenta parece ser ideal para artistas, designers e fotógrafos, que podem criar um site gratuito com visual impactante. Os pontos a desejar são o endereço não amigável do site e o SSL não fornecido na versão gratuita. Além disso, a ferramenta tem partes não traduzidas para o português.

Diferenciais: o design clean é o ponto forte do IM Creator, mas ele também oferece banco de imagens gratuito, efeitos de animação e permite inserir o Google Analytics na versão gratuita.

Características do plano gratuito do IM Creator

  • Endereço gratuito: im-creator.com/free/usuario/endereco
  • Armazenamento: não especificado
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Não possui certificado SSL (https)
  • Plano premium a partir de US$ 8 (gratuito para estudantes, artistas e ONGs)

Visitar IM Creator ›

15. Flazio

Página inicial do site Flazio

O Flazio é uma ferramenta repleta de opções de personalização, e ao mesmo tempo, bem difícil de usar. A interface é antiga e é preciso dar vários cliques para acessar todas as opções de edição. O SSL também não é oferecido no plano gratuito. É verdade que você pode criar um site grátis no Flazio, mas prepare-se para passar um bom tempo aprendendo a usar a ferramenta.

Diferenciais: permite inserir o Google Analytics e também a função multi-idiomas, mesmo no plano gratuito.

Características do plano gratuito do Flazio

  • Endereço gratuito: endereco.flazio.com
  • Armazenamento: 200 MB
  • Largura de banda: 1 GB
  • Recurso de blog
  • Exibe anúncios do Flazio
  • Não possui certificado SSL (https)
  • Plano premium a partir de R$ 36,02

Visitar Flazio ›

16. Site.com.br

O Site.com.br permite criar site grátis

O Site.com.br oferece um criador de site grátis utilizando como base o WordPress, mas o resultado não lembra em quase nada a famosa plataforma. Os temas são pouco atraentes e o editor de sites não é intuitivo, dificultando a criação de um site bonito e profissional. A versão gratuita também não disponibiliza o certificado SSL. Ainda assim, com uma boa dose de paciência e esforço é possível criar um site grátis na ferramenta.

Diferenciais: permite inserir o código do Google Analytics na versão gratuita.

Características do plano gratuito do Site.com.br

  • Endereço gratuito: endereco.site.com.br
  • Armazenamento: 500 MB
  • Páginas visitadas: até 5.000 por mês
  • Largura de banda: não especificada
  • Recurso de blog
  • Favicon personalizado
  • Exibe anúncios do Site.com.br
  • Não possui certificado SSL (https)
  • Plano premium a partir de R$ 19,90

Visitar Site.com.br ›

17. Comunidades.net

Página inicial do site Comunidades.net

O Comunidades.net é uma das ferramentas que menos gostamos para criar site grátis. Apesar dela oferecer uma solução gratuita, a experiência deixa muito a desejar. O editor não é amigável (não possui a função arrastar-e-soltar) e os temas vêm praticamente vazios, dificultando a criação do site. Não há banco de imagens gratuito para usar e alguns recursos simples estão limitados aos planos pagos, como o blog. Além disso, a versão gratuita veicula muitos anúncios na página, prejudicando o visual do site.

Diferenciais: oferece armazenamento e largura de banda ilimitados (embora a empresa crie outras maneiras de limitar o uso de recursos).

Características do plano gratuito do Comunidades.net

  • Endereço gratuito: endereco.comunidades.net
  • Armazenamento: ilimitado
  • Largura de banda: ilimitada
  • Favicon personalizado
  • Exibe anúncios do Comunidades
  • Plano premium a partir de R$ 4,50

Visitar Comunidades.net ›

Voltar para o início da lista de criadores de sites gratuitos ↑

Prós e contras ao criar um site grátis

Embora a ideia de poder construir um site de forma gratuita seja fantástica, a verdade é que por trás disso existe um custo, ainda que não seja monetário. Funciona assim: a maioria das empresas oferece suas ferramentas gratuitamente, na expectativa de que uma parcela dos usuários contrate um plano pago no futuro. É por conta disso que todo criador de sites grátis possui uma série de limitações.

Exemplo de diferença de recursos entre os planos do WordPress.com
Exemplo de diferença de recursos entre os planos do WordPress.com

Outras ferramentas, como o Blogger e o Google Sites, são 100% gratuitas e possuem o diferencial de permitir o uso de domínio personalizado. No entanto, são de propriedade do Google, que tem outra intenção: estimular o crescimento no número de sites publicados na Internet, para gerar mais tráfego no seu mecanismo de busca e mais receita para a empresa. O mesmo ocorre com o Google Meu Negócio, ferramenta gratuita que permite ao usuário cadastrar seu negócio no Google. Apesar dos interesses comerciais, entendo que eles ajudam milhões de pessoas que precisam divulgar seu negócio ou criar um site grátis.

Bem, agora que você já sabe que nem tudo são flores, vamos aos prós e contras de optar por criar um site grátis. Lembrando que cada ferramenta possui suas próprias restrições:

Prós

  • Publicar um site sem nenhum custo (ou com pouquíssimo custo, nos casos em que se usa domínio próprio).
  • Testar diferentes ferramentas, antes de contratar um plano pago.
  • Possibilidade de criar sites gratuitos ilimitados e em diferentes ferramentas.

Contras

  • Limitação no uso de domínio próprio personalizado (ex: seusite.com).
  • Limitações de espaço para armazenamento e upload de arquivos.
  • Restrições no número de visitas ao site.
  • Menor liberdade para personalizar a aparência do site.
  • Restrição quanto ao número de páginas do site.
  • Menos funcionalidades para inserir no site, como blog e loja virtual.
  • Pouca integração com ferramentas externas (como Google Analytics).
  • Restrições quanto à monetização do site (a maioria não permite usar Adsense).
  • Falta do certificado de segurança SSL (em algumas ferramentas).
  • Resultado final menos profissional do que em um plano pago.

Quando criar um site grátis pode ser a melhor opção?

Pode parecer estranho, mas nem sempre vale a pena contratar um criador de sites pago. Em muitos casos, criar um site gratuito é a melhor alternativa, mesmo considerando as restrições. Veja as situações mais comuns para optar pela versão gratuita da ferramenta:

  • Não há recursos financeiros para contratar um criador de sites pago.
  • O site é básico e um criador de sites grátis atende às necessidades.
  • É um negócio em fase inicial ou de planejamento.
  • É apenas um hobby, como um blog pessoal, por exemplo.
  • Trata-se de um projeto sem fins lucrativos e não há verba para investir.
  • O intuito é apenas testar as ferramentas.
  • É um trabalho para apresentar na escola ou faculdade.
Template gratuito do Wix para site de casamento
Template gratuito do Wix para site de casamento

Como podemos ver, há soluções para todos os tipos de necessidade e para todos os bolsos. O mais importante, antes de escolher qualquer alternativa, é conhecer suas vantagens e desvantagens. Dessa forma, pode-se fazer um ótimo uso da ferramenta para divulgar uma ideia, um evento ou um negócio.

Espero que tenha encontrado o criador de sites grátis que estava procurando. Caso ainda esteja em dúvida, dê uma olhada novamente na lista de empresas e experimente uma delas! Essa é a parte boa delas serem gratuitas. 🙂

Por outro lado, se você percebeu que uma solução gratuita não é para você, confira nossa lista com os melhores criadores de sites pagos. Lá tem ótimas opções que incluem domínio grátis, e-mail e muito mais!

O artigo Criar site grátis: 17 ferramentas gratuitas para criar o seu site (+ dicas para você escolher) foi publicado originalmente em Tudo Sobre Hospedagem de Sites.